domingo, 24 de setembro de 2017

Estou tão crescida...

Eles crescem mas a roupa não cresce com eles.
A maior parte das vezes essa é a verdade. Mas, por vezes, algumas peças, podem crescer com eles.
Foi o caso desta saia.
Estava a ficar pequena, mas entre descer a bainha e acrescentar uma barra de bordado inglês, consegui acrescentar a saia em 5 centímetros, o suficiente para que esta possa ser usada durante, pelo menos, mais 3 ou 4 meses.

E com menos de 2,00 Euros, de uma forma tão simples e com tão pouco trabalho a L tem uma saia nova.
Alterações tão pequenas e tão económicas.








quinta-feira, 21 de setembro de 2017

(Regresso à escola) De coração apertadinho

Por aqui esta semana houve regresso às aulas em versão criança e em versão adolescente.

Se para a adolescente o regresso é uma seca, porque as férias este ano foram excepcionalmente boas (o que não quer dizer que se não tivessem sido assim tão boas também não fosse uma seca…), para a criança o regresso às aulas é uma excitação.
Eu chamo-lhe regresso porque ela já estava na pré-primária mas agora é que é “a sério”…
O primeiro ano é uma etapa muito importante para qualquer criança, mas quando mudam de escola a história complica-se um bocadinho mais.
É toda uma logística que seria confusa para qualquer adulto, quanto mais para uma criança pequena, tão pequena!!!





As mochilas são maiores que eles porque para serem à medida deles nem um caderno A4 caberia.
Os pais ajudam a carregar o material e os livros que pesam mais que eles… Digo ajudam porque (pelo menos) nestes primeiros dias, eles próprios carregam (ou tentam carregar) orgulhosamente todo o material.

E quase consigo perceber tal sensação porque ainda hoje gosto do cheiro dos livros e das caixas de lápis por estrear.
E se é verdade que dá algum trabalho marcar todo o material, tenho que admitir que também me dá algum prazer.






E quem é que estava mais ansiosa, a criança ou a mãe (leia-se os pais porque alguns pais conseguem ser piores, bem piores…)?

Algumas crianças choram, os pais (todos sem excepção) bombardeiam a professora com recados (como se fosse possível ela lembra-se de todos os recados).


E quando é hora de as deixar com o/a professor(a) o coração apertadinho é o sentimento generalizado.   YYY


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

♥♥ Twins ♥♥


A maior parte do período das férias, bem como algum tempo antes das férias, estive longe da máquina de costura.
Mas não consigo estar sem fazer nada e os projectos de tricot, fáceis de transportar para qualquer lado, fizeram parte do meu quotidiano.
Tinha em mão uma meias para mim que consegui terminar.
O fio às riscas tem um padrão que se repete e para que o par fique exactamente igual seria necessário desperdiçar uma bocado grande de fio.
Para que isso não acontecesse resolvi fazer um par mais pequenino.



meia de bebé em tricot





meia de bebé em tricot

meia de bebé em tricot

meia de bebé em tricot



Iguaizinhas uma à outra.
Acho que a M. gostou.
Vamos ver se ainda servem quando o tempo refrescar a sério.
Ainda sobrou fio.
Agora vai ser a vez de fazer para a L.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Aldeias de Portugal

Há já alguns anos que não saímos de Portugal.
(a fronteira de Espanha não conta)
E não há ano que passe que não tenhamos ido “à terra”.
Trata-se de uma aldeia no conselho de Viseu, que ainda vive daquilo que a terra lhe dá e onde podemos ver, nos finais de tarde, os animais passearem livremente pelo empedrado das ruas.

A L, dividida entre o medo e a curiosidade, gosta de ir espreitar as cabrinhas da “Tia” Angelina.



Os dias passam devagar.
Devagar o suficiente para abrandar, pelo menos por uns dias, do ritmo da cidade.





No regresso a casa trazemos sempre o carro cheio.


E agora é tempo de voltar às rotinas.
Já regressei ao trabalho há alguns dias e a escola está quase a começar.
Pró ano há mais...




domingo, 27 de agosto de 2017

Das férias para as férias

Há já pelo menos dois anos que a capa do meu chapéu de sol estava rasgada e sem alça.

A capa do chapéu era de plástico e o tempo e o peso do próprio chapéu bem como os maus tratos a que foi sujeita ao longo dos alguns anos de uso inutilizaram-na por completo.
Resolvi comprar um tecido mais ou menos resistente para fazer uma capa capaz .
Já comprei o tecido o ano passado mas com o fim da época balnear o tecido foi guardado no fundo da gaveta dos tecidos e aí ficou até agora.
No primeiro dia de praia e quando tive que transportar o chapéu na mão recordei-me desse projecto adiado.
Quem por aqui passa sabe que moramos na margem sul pelo que a parte das férias que fazemos na praia é com idas e voltas diárias a casa.
Aproveitei uma tarde em que as princesas dormiram um “sono de beleza” e meti “mão à obra”.
A nova capa do chapéu já foi à praia bem como a bolsinha, com o mesmo tecido, que transporta os protectores solares.

Capa para chapéu de sol e bolsa em tecido



Capa para chapéu de sol e bolsa em tecido

Capa para chapéu de sol e bolsa em tecido

sábado, 19 de agosto de 2017

Dia mundial da fotografia



“Vale mais uma imagem que mil palavras”

“Certas coisas vivem para sempre, se forem fotografadas”

“Fotografar é congelar um momento da vida”
(mesmo que seja um momento apenas nosso)

Eu gosto de fotografar, mesmo fotografando sempre no automático.
Hoje comemora-se o dia mundial da fotografia.
Estas são algumas fotografias que eu tirei e que gosto muito.
Algumas já foram mostradas por aqui mas outras são novinhas em folha.


















quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Férias e praia, uma combinação perfeita


Pese embora nos últimos anos não tenha sido o local habitual, a praia é o local onde, nas férias, desfrutamos de maior descanso.

Na periferia da nossa casa temos várias praias que gostamos muito.
São as vantagens de morar na margem sul do tejo ou como agora carinhosamente lhe chamam “Lisbon south bay”

E este ano “corremos” várias: Fonte da Telha, Sesimbra, Praia de Albarquel (Setúbal), Costa da Caparica…
Passear ao longo da praia, apanhar pedrinhas e conchas, fazer castelos e piscinas e até tricot.

Tudo vale e tudo é possível.







E por aí como foram as vossas férias?